VAMOS PARTICIPAR DESTA CAMPANHA

A repórter Marina Alves está com uma doença grave. Ela escreveu esse texto e quem puder ajudar, doando, compartilhando, com orações… Segue a mensagem dela:
“Oi, gente! Boa noite! Os últimos dias de tratamento foram bem difíceis, por isso fiquei mais ausente por aqui. Agora, começo a recuperar um pouco as forças com a ajuda de transfusões de hemácias e plaquetas. No sentido mais literal que existe, doações que estão salvando a minha vida.
Por isso, gostaria de pedir a quem quiser/puder, que me ajude e, consequentemente, ajude outras pessoas com o simples gesto de doar.
Pra isso, é só chegar no Fujsan e dizer que quer doar hemácias e plaquetas pra Marina Alves Bezerra. Me disseram que precisa só do nome mesmo, mas se perguntarem mais alguma coisa, lá vai: Nasc 11/04/1989 / CPF: 037.610.203-92 / internada no setor de oncologia do Hospital da Unimed.
Soube que plaquetas só podem ser doadas por homens, com veias calibrosas. Mas hemácias é uma doação de sangue “normal”.
Outra coisa. Soube hoje pelo médico que me acompanha, que além do tratamento de quimioterapia já iniciado, vou precisar de um transplante de medula. Como não tenho irmãos, as chances de encontrar um doador compatível na própria família caem bastante. Então, vocês também podem falar do interesse de serem doadores de medula, na mesma ida ao Fujisan. Aí colhem um materialzinho simples e colocam em um cadastro pra quando tiverem com o todo o meu perfil genético. Eu sou doadora de medula há anos. Uma as minhas primeiras passagens foi fazendo a doação no Hemoce. Hoje quem corre contra o tempo sou eu.
Fonte: Assis Nascimento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nenhum número escolhido ainda